Empregos na Flex: Lageana “volta para casa” depois de nove anos morando em Aracaju

Um grande número de lageanos está voltando para a Serra depois de experiências nem tão bem sucedidas em cidades de outras regiões. A atendente de telemarketing, Roberta de Andrade Daboit, 29 anos, por exemplo, se lançou em uma nova empreitada ao assumir uma vaga de teleatendente na unidade da Flex, no bairro Guadalupe, depois de nove anos vivendo em terras distantes.76268979f92aebde0ee5a37e1f2ba0bcLageanavoltaparacasadepoisdenoveanosmorandoemAracajuRobertaqueretornouparaLages1

Há quase três meses no quadro funcional da empresa, com tempo de experiência a vencer no dia 25, Roberta procurou novos ares em Aracaju, capital do Sergipe, onde mora seu pai e a família de seu marido. De volta a Lages, aproveitou a experiência de um ano em call center em Aracaju para obter trabalho na Flex e ter um novo recomeço depois de nove anos no Nordeste.

Roberta é casada e mãe de três filhos. A renda de casa é formada pelas remunerações dela e do marido, vendedor de produtos de limpeza. Ela explica que há parentes do esposo que desejam se mudar para Lages em busca de oportunidades de trabalho. “Para quem procura e quer emprego, têm oportunidades em Lages”, comenta.

 

Otimismo e metas

Ao chegar em Lages no fim de 2015, Roberta de Andrade Daboit foi uma das pessoas beneficiadas pelo Banco do Emprego, órgão da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, prestador dos serviços de recebimento e filtragem de currículos, pré-seleção e cessão de auditório e salas de entrevistas individuais e coletivas às empresas. Sua contratação se deu através do encaminhamento por intermédio do Banco do Emprego. Cerca de 80% das admissões para a Flex são realizadas usando essa parceria.

Em virtude da crise financeira que apertou o país nos últimos tempos, Roberta tomou coragem e voltou para a sua terra. “Emprego, saúde e educação me fizeram retornar. As coisas no Nordeste são difíceis”, detalha. “Em Lages a qualidade da educação é melhor. Meus filhos estudam em escolas públicas municipais”, conta.

Orientada por sua mãe, Roberta procurou o Banco do Emprego, na rua Sebastião Furtado, Centro, onde cadastrou currículo. O intervalo entre a inscrição e a chamada para a entrevista na Flex levou menos de 15 dias. “O Banco do Emprego ajuda minha família a crescer. Foi-me entregue a ficha e pedido que escolhesse a vaga para ser indicada. Estou amando trabalhar aqui (na Flex)”, comemora. Finalizar os quatro últimos semestres da faculdade de serviço social é uma de suas metas.

 

Parceria fundamental

A coordenadora de Recursos Humanos da Flex, Angélica Calderán, ressalta que a empresa conta com o suporte do Banco do Emprego desde sua chegada em Lages, em 2011. “Tem sido uma parceria fundamental no auxílio ao recrutamento. O espaço disponibilizado para as seleções facilita o nosso trabalho, logisticamente falando”, afirma. As seleções para teleatendentes acontecem às quintas-feiras, às 8h, no Banco do Emprego. Para participar, o candidato deve ter idade a partir de 18 anos e ensino médio completo. Não é exigida experiência.

Ao todo, a empresa possui 12 mil funcionários e quatro unidades em Florianópolis, duas em Lages, uma em Xanxerê e cinco em São Paulo. Está previsto um crescimento da empresa em Lages no mês de setembro com uma nova unidade a ser construída no Parque Órion. Esta será a terceira unidade na cidade (as outras estão localizadas no Guadalupe e na avenida Duque de Caxias).

A Flex emprega 1.800 pessoas em Lages. “Esta é uma parceria duradoura. A Flex é excelente para o início do jovem no mercado de trabalho. A empresa é o nosso carro-chefe em contratações”, complementa o gerente do Banco do Emprego, Paulo Roberto Branco.

 

Com informações Assessoria de imprensa do município de Lages

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.