Como fazer sua lista de projetos para 2017?

O que você pretende fazer no ano que vem? Como foram os 365 dias de 2016? Essas são perguntas que vêm à cabeça de todo mundo que comemora o Ano-Novo. E, além de todas as simpatias para a hora da virada, existem as famosas promessas. Parar de fumar, matricular-se na academia, concluir aquela pós-graduação, alimentar-se melhor… Enfim, quem nunca começou janeiro com muito pique para resolver a vida de uma vez por todas?

 

Segundo o psicólogo e terapeuta Denigés M. Regis Neto, “o Réveillon é a representação do início de um ciclo, como vários outros que vivemos. Os dias, as semanas e os meses costumam ser as referências para nossas atividades, nossos planejamentos etc. O final de um ano e o início de outro têm um papel semelhante – é como se fosse um marco”.

 

A diferença é que o ano é a maior referência, o maior ciclo. “O fato de ser um evento importante para muitas pessoas agrega significados a essa data. Evidentemente, não é necessário um momento específico para renovar ou mudar algo em nossa vida, mas isso ajuda a, no mínimo, organizar nossos desejos e objetivos, pois criamos planos para conquistá-los. É como se olhássemos a nossa própria história num flashback e, a partir daí, criássemos novas expectativas”, resume.

 

Esse momento de relembrar e refletir é, portanto, bastante útil para gerar um autoconhecimento e nos ajudar com as decisões futuras. “Pensar sobre o passado sem fazer planos pode nos levar somente ao saudosismo ou a uma estagnação, pois apenas projetar, sem fazer uma reflexão a respeito do que se viveu, dificulta a criação de objetivos atingíveis, possíveis”, afirma o psicólogo.

 

Cumprir ou não cumprir?

 

Na maioria das vezes, é quase inevitável passar pelo dia 31 de dezembro sem refletir sobre o que passou e planejar o que será feito. No entanto, fazer uma lista não é sinônimo de que ela será cumprida. Geralmente, o problema está na forma como ela foi pensada.

 

“Só desistiremos das coisas que, na verdade, não queríamos ou daquelas em relação às quais não conseguimos construir um caminho sólido para atingir. E ‘sólido’ pode significar devagar; porém, sempre será constante!”, continua Denigés.

 

O segredo está na persistência e no planejamento. “As resoluções de Ano-Novo costumam ser desejos por mudanças de hábitos (perder os que são prejudiciais ou adquirir os saudáveis). As promessas podem servir para nos animar, motivar, mas a mudança de verdade precisa de prática diária!”, atesta o psicólogo.

Autoconhecimento

 

Se força de vontade é a chave, será que é possível adquiri-la? A resposta é animadora: “Acredito que uma pessoa determinada é alguém que aprendeu a planejar bem a própria vida”.

Segundo o terapeuta, uma pessoa que se conhece sabe melhor como planejar suas próprias atividades, reconhece os horários em que o cérebro não rende tão bem, os hábitos que são mais difíceis de mudar e consegue pensar em estratégias eficazes para fazer alterações em sua rotina, pois tem consciência dos prejuízos de não cumprir com o que combinou consigo mesmo. “O primeiro passo é saber o que e por que deseja. Muitas vezes, não conseguimos realizar um plano ou promessa de Ano-Novo porque, sem perceber, na verdade não queremos aquilo”, pontua.

metas-2017-copia1

Uma maneira de descobrir do que você realmente gosta pode ser experimentando coisas novas. “Por exemplo, se desejar fazer exercícios, precisa rever seus horários de trabalho; portanto, sua resolução de Ano-Novo deveria ser ‘Vou tentar trabalhar menos’ em vez de ‘Vou voltar a fazer exercícios’. Nossos hábitos competem entre si. Devemos conhecê-los para controlá-los. Uma mudança, qualquer que seja, transforma um equilíbrio já estabelecido em nossas vidas, por isso é tão difícil!”, resume o psicólogo.

 

Então, antes de pegar papel e caneta para anotar os famosos “parar de fumar” e “voltar para a academia”, que tal dar uma olhada na lista de “Resoluções para Fazer Resoluções”? Confira  as dicas a seguir e Feliz 2017!

 

Faça melhor!

O psicólogo e terapeuta Denigés M. Regis Neto sugere que você se faça três perguntas: “O que é justo esperar de si mesmo?”, “O que posso e quero fazer melhor?”.

Pés no chão

Não tire os pés do chão. “Expectativas realistas, com metas objetivas e com prazos, podem ajudar”, lembra o psicólogo.

Sonhe

Não deixe de sonhar. Para isso, planeje como você vai alcançar seus desejos. Antes de escrever “emagrecer”, prefira “fazer aulas de natação duas vezes por semana”.

Passo a passo

Se o seu objetivo é muito grande, divida-o em pequenos passos, lembrando sempre qual é a sua motivação, e valorize-o quando alcançá-lo.

Você é único

Não se compare com os outros. “Só você poderia ter feito o que fez (de certo e de errado) e viver com as consequências de suas ações. Portanto, a única comparação justa é entre o você de hoje e o você de ontem, da semana passada, do mês passado e do ano passado!”, finaliza Denigés.

Compartilhe seus planos

Compartilhe seus planos com as pessoas que se importam com você, pois elas podem ser grandes aliados para ajudá-lo a cumprir essas metas.

Fonte: Portal Viral

Foto: Divulgação/Ilustrativa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.